Blog

Sobre a beleza escravizada.



Como nutricionista, posso dizer que trabalhar nesse meio é muito bom, gratificante demais, conseguimos ajudar muitas pessoas. Porém, o lado negativo é que vemos tanta coisa ruim, tanta, mas tanta besteira... Vontade enorme de mandar meio mundo ficar quieto porque não tem propriedade nem responsabilidade pra falar sobre o assunto.

O que virou o conceito de beleza nos dias de hoje? Virou escravidão, ditadura, o impossível. Somos obrigados a ler matérias de revistas conceituadas nos mandando ficar em jejum, sem comer, porque é a nova moda. Convivemos com sub-celebridades ganhando milhões pra falar sobre secar, ficar grande, bumbum na nuca, barriga negativa e outras groselhas. E a gente aqui fazendo nosso trabalho honesto. Ai sério gente, que preguiça.

Vivemos querendo ser quem não podemos ser. E não entendam mal, é por um simples e único motivo: a beleza virou uma coisa tão distorcida e inatingível que parece que estamos sempre correndo naquela rodinha de hamster. Sem sair do lugar e sempre infelizes.

Somos bombardeados o tempo inteiro por padrões, imposições e deveres. Se você não tiver o corpo assim, e não falar que a vida é mara, você não é bom o suficiente. Hã? Tá "serto". No final das contas, você perde todos os filtros e acaba entrando em parafuso. Quem é você de verdade?

Aí acordamos de manhã e, antes de levantar da cama, com um olho aberto e outro fechado, conseguimos acompanhar todas as redes sociais possíveis, pra ver o que as pessoas que a gente segue estão fazendo. "Empoderamos" musas e musos fitness e fazemos deles nossos guias. Nos comparamos. Amigo, não faça isso. Não acredite em tudo que diz aquela menina que ainda usa o sobrenome do ex-marido. Você tem sua vida, seu corpo, sua genética. Você não ganha milhões pra ir fazer uma aula de bike e postar uma foto.

Comemore! Somos pessoas normais. E, sério, podemos ser bem mais felizes do que quem tem a conta bancária cheia, mas virou refém dessa busca vazia. Uau que poético, você diz. Mas pensa bem, faz sentido.

Não defendo aquela coisa de "ah, sou feliz do jeito que eu sou", mas sim "ah, sou feliz fazendo, sendo e buscando o que me faz bem". Note a diferença entre se acomodar e querer sempre ser a melhor versão de si. Isso é evoluir. Fica a dica :)

Posts em destaque
Arquivo
Redes sociais
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Social Icon

Rua Aimberê, 1731 - Perdizes

São Paulo - SP

Tel: 11.96750.4488

© 2018 by WellMove - Movimento Pelo Bem-Estar. Proudly created with Wix.com